Se você já compreendeu como a internet funciona, em algum momento certamente chegará na máxima de que no fundo, ela trata de pessoas. São pessoas reais do lado de lá do smartphone. Por isso, as relações nas redes têm se intensificado no sentido de se tornarem cada vez mais humanas. Projete conversas de igual para igual. Faça questão de responder a todos os comentários, criando uma relação de proximidade com sua audiência.

Outra máxima recorrente: é preciso que se saiba ouvir o cliente, que no fundo nada mais é do que uma pessoa, com anseios, vontades, poder decisório. Converse com ele. A venda de um produto ou serviço poderá vir depois, quando houver uma terreno viável para isso.

Conte histórias. Invista no storytelling de conteúdo. Mostre personagens reais nas suas campanhas. Busque clientes reais, que garantam boas histórias envolvendo sua marca, seus produtos, sua empresa. Alguém consumiu seu produto e postou algo positivo? Transforme isso em ativos para você e sua marca.

Avalie se a sua empresa é mantenedora de boas práticas de diálogo com seu cliente.Os canais colocados à disposição estão sendo efetivos?  Afinal, o diálogo precisa ser uma via de mão dupla e deve ser praticada nos diversos canais disponíveis para o cliente. Inclua na sua avaliação o modo como sua empresa escuta e responde às demandas.

O cliente tem uma dúvida sobre o produto que você está oferecendo? Quer tirar alguma dúvida específica de um serviço, de frete, de entrega? Tem alguma reclamação a fazer sobre a empresa, um produto que não foi entregue ou não com a qualidade que o cliente gostaria? Para tudo isso, uma única resposta: chama no no DM (Direct Message). É no privado que esse tipo de situação é resolvida. Caso a caso. Dê ao cliente a importância que ele está buscando.

Qual o nível de expectativa da sua empresa em relação ao seu público? A resposta a essa pergunta será diretamente proporcional à atenção que você dá a ele. Fale para o seu público exatamente o que ele quer ouvir.

Chegamos a um ponto importante desta nossa conversa: mas então, qual a maneira mais efetiva de gerar engajamento?

Se você aplicar esses preceitos de humanizar, dialogar, saber ouvir, contar histórias, publicar com frequência… certamente o nível de engajamento da sua marca com o cliente aumentará e trará uma gama de bons frutos.

A partir daí, será possível engajar seu público. Estamos em um período em que é impossível ignorar questões que os consumidores consideram graves.

Vivemos a era de levantar bandeiras e lutar pelas causas nas quais você e sua marca acreditam.

Se você tem uma marca de roupas, posicione-se sobre o trabalho escravo fabril. Mostre o que faz para combatê-lo na sua organização. Incentive seu consumidor a comprar de empresas éticas.

Lute junto pelo que você acredita enquanto pessoa. Apoie na sua empresa a mudança que você quer ver projetada no mundo. A equiparação salarial entre os gêneros, oportunidades iguais para negros, jovens, portadores de deficiência. Respeite e acolha as diferenças. Se tudo isso for regra na sua empresa, certamente poderá se destacar no mercado, trazendo à tona nas suas campanhas, no seu posicionamento enquanto marca.

De dentro para fora, ficará fácil fazer com que os consumidores consumam suas ideias, se engaje e, por consequência, compre seus produtos.

blog

Voto feminino: a importância de se votar em mulheres

25/02/2021

Voto feminino: a importância de se votar em mulheres

redes@descompli.ca |

+55 (61) 99870-1525 / 3686-5195

Fale Conosco