Em um país como o nosso, em que mais da metade da população usa as redes sociais, é inviável pensar qualquer negócio atualmente, sem dar atenção a elas. Twitter, Instagram, Facebook já deixaram há tempos de serem meramente redes de contato, nas quais os amigos publicam fotos ou atualizações de suas vidas privadas – são, antes de mais nada, um vantajoso terreno para negócios.

Mas, sua empresa está preparada para as redes sociais?

Afinal de contas, gerenciar as redes sociais vai muito além de criar e publicar tuítes, posts e fazer interações de maneira ocasional. É preciso, antes de mais nada, elaborar uma estratégia de atuação coesa, com planejamento e, sobretudo, monitoramento de tudo o que é publicado.

Por que fazer monitoramento?

Sem monitoramento, o que é publicado dificilmente terá a efetividade que se espera. Entretanto, com metodologias de marketing digital bem aplicadas, o resultado certamente será outro.

Outro ponto bastante importante é: como o público está enxergando sua marca? Como sua marca está sendo avaliada publicamente? Essa avaliação pode e deve ser feita por profissionais. Além, é claro, da interação com seu público. Uma pergunta de um possível cliente, uma dúvida de um consumidor, nenhuma indagação deve ser deixada para trás quando o assunto é interação nas redes sociais.

Nas redes, as publicações tëm hora mais adequada para ocorrerem, as respostas às dúvidas devem vir de maneira quase que imediata e sim, é preciso responder de maneira adequada, dentro de uma estratégia de atendimento ao cliente.

Big Data

É onde entra uma nova ferramenta de marketing digital, o Big Data, que consiste na  análise e interpretação de grandes volumes de dados de grande variedade. Se usado de maneira assertiva, com soluções específicas é possível trabalhar com informações não-estruturadas a uma grande velocidade.

Trocando em miúdos, é possível com o uso de Big Data, ter acesso a informações como perfil de cliente, faixa etária, local de moradia, hábitos de consumo, horários que mais acessa as redes, e uma infinidade de outras informações que embasarão as tomadas de decisão de compra e venda.

Você pode estar se perguntando como é possível então, pinçar os dados e informações que eu preciso, no meio de tantos dados? Ou mais, como analisar esses dados? É aí que entra o conceito, igualmente recente, de Inteligência Analítica.

Inteligência Analítica

Não basta apenas ter os dados. É preciso observar e analisar o que foi coletado para realizar uma utilização prática, eficaz e que atenda aos objetivos do meu cliente.

Afinal de contas, estamos falando de um volume enorme de dados, que são produzidos e coletados em uma enorme velocidade e que tem ainda uma enorme variedade de locais e em formatos distintos.

Cabe o profissional, com seu olhar, averiguar, com essa enormidade de dados em mãos, outros “Vs”, como:

– valor (qual o valor dessa informação para o meu cliente?);
– veracidade (esse dado é correto, verídico?);
– visualização (esse dado foi visualizado, teve muitos acessos, foi propagado?)

Ou seja, a esta altura do desenvolvimento das redes sociais e suas implicações, não tem como falarmos de monitoramento sem ferramentas como Big Data e Inteligência Analítica.

Fale Conosco